Presidente do Conselho de Ética diz que processará Inocêncio

Moraes diz que corregedor usou 'dois pesos e duas medidas' ao cobrar agilidade no processo contra Paulinho

Christiane Samarco, de O Estado de S. Paulo,

03 de junho de 2008 | 17h16

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Sérgio Moraes (PTB-RS), anunciou nesta terça-feira, 3, que processará o corregedor-geral da Casa, deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE), por abuso de poder. A decisão de Moraes é uma reação à representação movida por Inocêncio contra ele por causa da demora em instalar, no Conselho de Ética, processo contra o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical. Veja também:Conselho de Ética abre processo disciplinar contra PaulinhoProcesso 'é ótimo' para eu me defender, diz PaulinhoEntenda o esquema de desvio de verbas do banco estatal Grupo aliado aconselha Paulinho da Força a renunciar Paulinho é acusado de envolvimento em esquema de desvio de dinheiro público do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Moraes disse que Inocêncio Oliveira usou contra ele "dois pesos e duas medidas", porque outros relatores demoraram até 48 dias para abrir um processo sem que o corregedor tenha se manifestado.  Nesta terça, o Conselho de Ética intalou processo contra o deputado Paulinho. Ele nega qualquer envolvimento no caso e diz que não renuncia. Se comprovada a participação dele no esquema, estará configurada a quebra de decoro parlamentar, o que pode levar à cassação de seu mandato de deputado.  A decisão de abrir o processo foi aprovada apenas dez minutos após o início da sessão. Os conselheiros decidiram também que, como há dois pedidos iguais de abertura de processo - um do PSOL e um da Mesa Diretora da Câmara -, a decisão do Conselho será a de reunir os dois e indicar relator único para dar parecer sobre ambos.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.