Presidente do BB diz que estratégia de estatal não mudará

O presidente do Banco do Brasil (BB), Rossano Maranhão, evitou fazer comentários sobre os rumores de que teria pedido para deixar o comando da instituição. "Se eu disser que sim ou que não, esse gesto pode ser interpretado como factóide para eu ficar", afirmou em entrevista coletiva durante encontro com analistas da Apimec-SP.Para Rossano, a pergunta mais relevante não é sobre sua permanência no cargo, mas sim se existe a possibilidade de mudança nos rumos da administração do banco. "E a resposta é não", enfatizou. Segundo o executivo, o BB tem objetivos muito claros para o futuro e compromisso permanente com as práticas de governança corporativa e transparência. "Não há o menor risco de o banco não ter uma gestão profissional", acrescentou. Por outro lado, o presidente do BB lembrou que "ninguém é eterno". "O mais importante é que a direção e os objetivos do banco em relação à contribuição para a sociedade permanecem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.