Presidente de estatal chinesa é detido por suspeita de corrupção

Presidente da China Telecom, Chang Xiaobing, foi detido por suspeita de 'violações disciplinares graves', segundo um comunicado publicado no site da Comissão Central de Inspeção Disciplinar, agência anticorrupção do Partido Comunista chinês

Dow Jones Newswires

27 de dezembro de 2015 | 12h51

Pequim- A Comissão Central de Disciplina do Partido Comunista Chinês (PCC) deteve neste domingo, 27, o presidente da China Telecom, Chang Xiaobing, no mais recente movimento contra a corrupção que tem afetado executivos de muitas das empresas estatais mais importantes do país.

Chang foi detido por suspeita de "violações disciplinares graves", de acordo com um comunicado de uma frase publicado no site da Comissão Central de Inspeção Disciplinar, agência anticorrupção do Partido Comunista. A frase é utilizada como sinônimo para alegações de corrupção.

Chang, de 58 anos, é o ex-presidente da segunda maior operadora móvel do país, a China Unicom. Ele assumiu o posto mais alto na China Telecom em agosto.

A comissão não forneceu mais detalhes. A detenção de Chang vem em meio a crescente investigações contra altos executivos em uma série de empresas estatais, de gigantes do petróleo até fabricantes de automóveis. A China Telecom é a terceira maior operadora de telefonia móvel do país por contas de assinantes.

A detenção de Chang contribui para uma temporada de volatilidade para as ações do setor de telecomunicações chinesas. As ações da China Unicom e da China Telecom subiram recentemente em meio a especulações de que o governo está considerando uma fusão como parte de um esforço nacional para aumentar a eficiência e limpar resíduos em maiores corporações do país.

O presidente chinês, Xi Jinping, lançou a campanha anticorrupção depois que ele assumiu o poder no início de 2013. A unidade desde então se expandiu, com o aviso de que a corrupção predominante ameaça o partido, uma iniciativa considerada uma punição política por alguns especialistas. Fonte: Dow Jones Newswires.

 

Tudo o que sabemos sobre:
PequimPCCChinaXi Jinping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.