Presidente da Record deixa Abert. Motivo: dinheiro do BNDES

O presidente da Rede Record, Dennis Munhoz, divulgou hoje sua renúncia a uma das vice-presidências da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abert) evidenciando uma crise que dividiu as empresas de comunicação em torno do projeto definanciamento do BNDES ao setor.Hoje, representantes da Record, do SBT e da RedeTV estiveram na sede do banco e formalizaram ao presidente, Carlos Lessa, e ao vice-presidente, Darc Costa, o repúdio à condução do processo pela Abert. ?Havíamos dado, no dia 12, um ultimato à direção da Abert para que esclarecesse a opinião pública que não há unanimidade nosetor. Não concordamos com a utilização do dinheiro público para equacionar a dívida de empresas particulares adquiridapor conta de suas próprias administrações. O papel do BNDES não é esse?, afirma Munhoz. Segundo ele, o projeto apresentado pela Abert ao banco divide-se em três propostas básicas: financiamento ao papel deimprensa, apoio a investimentos e equacionamento financeiro das empresas. Para equacionar a dívida seriam concedidosempréstimos em condições favoráveis: Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), atualmente em 10%, mais 1,5% ao ano, dois anosde carência dos juros e mais dois de carência do principal. A informação não foi confirmada pela Abert. Na sede da entidade, em Brasília, a informação hoje era de que o expediente sóserá retomado após o carnaval. Na última terça-feira, o presidente do BNDES, Carlos Lessa, chegou a comentar, duranteentrevista coletiva no banco, que o financiamento ao setor de comunicação ainda "vai dar muita controvérsia", devido à postura?pouco convergente? das empresas do setor.Munhoz destaca que o projeto assinado pela Abert, defende o financiamento às empresas que apresentaram dívidas no balançoaté dezembro de 2002. ?Nesse caso, a empresa poderá saldar com dinheiro público 50% dos débitos adquiridos por qualquermotivo?, diz. Pelos cálculos do mercado, o setor deve atualmente cerca de R$ 10 bilhões. O presidente da Record apresentou àdireção do BNDES uma solução alternativa, com utilização de verba do BNDES especificamente para investimentos emtecnologia e produção futuros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.