Presidente da PetroRio não definiu se fica no cargo ou no PDT

O ex-deputado e atual presidente da Petroquímica do Rio (PetroRio), Vivaldo Barbosa (PDT-RJ) afirmou que ainda não definiu seu futuro. Integrante do PDT, Vivaldo terá de deixar o cargo se quiser pemanecer no partido, segundo decisão do presidente da legenda, Leonel Brizola. "Será uma decisão sofrida", disse Barbosa, que está neste momento no Palácio do Planalto para participar da cerimônia de sanção da lei da renda mínima. Ele disse que não sabe se conversará ainda hoje com o minisrtro José Dirceu. "O partido é superior a cargos, mas colaborar com o governo Lula é dever patriótico. Como conciliar as duas coisas é o desafio", disse Vivaldo. O presidente da PetroRio considerou lamentável a saída do ministro das Comunicações, Miro Teixeira, do PDT. "Partido, para servir bem a Nação, não pode jogar para fora pessoas como Miro Teixeira, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.