Evelson de Freitas|Estadão
Evelson de Freitas|Estadão

Presidente da OAB é recebido com vaias e aplausos ao chegar para entregar processo de impeachment

Grupos contra e a favor da saída de Dilma Rousseff estiveram frente a frente e causaram tumulto

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2016 | 17h03

Brasília - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia, chegou no fim da tarde desta segunda-feira, 28, à Câmara para entregar um novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Lamachia foi recebido com vaias e aplausos, por grupos contra e a favor do impeachment. Houve tumulto na entrada do Salão Verde na chegada do presidente nacional da OAB.

Antes da chegada de Lamachia, o clima já havia esquentado entre os manifestantes que estão concentrados neste momento no Salão Verde. Grupos a favor e contra o impeachment de Dilma estão frente a frente gritando palavras de ordem e tumultuando a principal entrada da Casa. Os grupos já discutiram e cenas de "dedo na cara" marcaram o protesto da tarde desta segunda.

No requerimento da OAB, a entidade incluiu como justificativas o conteúdo da delação premiada do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS), as chamadas "pedaladas fiscais", as renúncias fiscais em favor da Fifa na Copa de 2014 e a tentativa de nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como chefe da Casa Civil.

Partidarismo. O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) afirmou que considera o protocolo de novo pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff como uma manifestação política da entidade. Damous já foi presidente da OAB no Rio e é próximo ao ex-presidente Lula. 

Para o parlamentar, a entidade entrou num "jogo político" e, ao assinar um novo pedido de impeachment de Dilma, põe em risco seu prestígio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.