Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Presidente da OAB diz ser alvo de ameaças em redes sociais

Felipe Santa Cruz afirmou que sua equipe encontrou, entre as mensagens que tem recebido, uma ameaça mais grave, mas não deu detalhes do que seria

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2019 | 16h04

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, afirmou nesta sexta-feira, 2, que tem recebido ameaças em redes sociais desde o início da semana, após o embate público que teve com o presidente Jair Bolsonaro

Falando a jornalistas antes de um almoço promovido pelo Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp) em que foi palestrante, Felipe Santa Cruz afirmou que sua equipe encontrou uma ameaça mais grave entre elas, sem dar detalhes do que seria. Ele ressaltou que prefere não acompanhar esse tipo de mensagem. 

"Eu não vi pessoalmente as ameaças, sei que há, mas evito até por proteção de espírito. Minha equipe identificou uma ameaça especificamente mais grave", afirmou. Segundo ele, coube à Ordem comunicar a Polícia Federal. 

"Confio que a Polícia Federal vai identificar o perfil e esclarecer, antes de mais nada, se é um destempero, uma loucura que as pessoas às vezes falam, ou se é algo que devemos mesmo nos preocupar e enfrentar como algo relevante e uma ameaça grave contra minha segurança ou de minha família". 

Procurada, a Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal informou que recebeu as notificações e que, agora, a equipe vai avaliar os conteúdos e identificar a necessidade ou não de abertura de inquérito.

Nesta semana, Jair Bolsonaro apresentou uma versão sobre a morte do pai de Felipe Santa Cruz que não tem respaldo em informações oficiais. O presidente da OAB acionou então o Supremo para cobrar esclarecimentos de Bolsonaro.

Também no discurso, Felipe Santa Cruz disse que o Brasil vive um momento oportuno para reduzir o acirramento do ódio e da polarização que dominam a sociedade e o sistema político. "Temos dois caminhos nessa encruzilhada. Um poderia ser aceitar o caminho do ódio, responder, bater boca, rolar no chão. Esse não serve a ninguém", afirmou em seu discurso.

"O outro (caminho) é dizer basta, dizer aos democratas de todos os matizes, da esquerda à direita, que é importante reconstruir um campo racional de debate". Felipe Santa Cruz foi aplaudido na parte final de seu discurso pelos presentes. 

União dos democratas

Ao Estado, Felipe Santa Cruz disse que a OAB tem conversado com outras entidades da sociedade civil para tentar contribuir com o "distensionamento do País". "(Queremos) objetivamente buscar superar esse momento de ódio e polarização construindo um espaço racional para discutir os problemas do Brasil que são tantos".

Também defendeu a necessidade de maior diálogo com o Congresso Nacional e disse que a criminalização da política é parte da crise que o Brasil vive hoje. "Precisamos valorizar a boa política, feita com sabedoria, negociação, capacidade de ceder, de fazer a verdadeira composição em prol do Brasil, que é muito heterogêneo", afirmou. 

Ele elogiou nominalmente os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre (Senado), e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o prefeito Bruno Covas. 

"Esse episódio marca a verdadeira união dos democratas. É um passo que não vamos dar atrás, não vamos no caminho do autoritarismo, pró-ditadura militar. Nós sabemos o que custou chegar aqui". 

Santa Cruz sentou-se à mesa com juristas como Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, Rui Fragoso, Miguel Reale Júnior, Mário Sergio Duarte Garcia (ex-presidente da OAB-SP), André Almeida Garcia (diretor da Associação dos Advogados de SP) e Ricardo Toledo Santos Filho (vice-presidente da OAB-SP). 

Também estiveram no evento os criminalistas Cristiano Zanin, advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, além de dirigentes e representantes de associações e entidades ligadas ao Direito. 

Veja abaixo a nota oficial da OAB

Na última segunda-feira (29/07), a OAB nacional protocolou na Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal duas notícias crime: uma por ameaças e ofensas e outra por fraude contra o presidente da Ordem, Felipe Santa Cruz.

Destaca-se a manifestação do usuário do Facebook, Breno Freire, que postou “Você não passa de comunista igual seu pai, achar um semi-deus pq andar de carro blindado, não esqueça que existe .50BMG e explosivo C-4”.

Foi solicitada a abertura de inquérito policial para averiguar os fatos e, se constatada a prática de ilícito penal, o envio dos autos ao Ministério Público. O presidente Felipe Santa Cruz confia que a Polícia Federal fará toda a investigação necessária para elucidar os casos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.