Isaac Amorim/MJSP
Isaac Amorim/MJSP

Presidente da Funai se antecipa ao governo e pede demissão do cargo

Franklimberg Ribeiro de Freitas admite que sofre pressão ruralista: 'Foi uma decisão pessoal'

André Borges, Estadao Conteudo

19 de abril de 2018 | 21h58

BRASÍLIA - O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Franklimberg Ribeiro de Freitas, decidiu se antecipar à decisão do presidente Michel Temer e entregou seu pedido de demissão ao Ministério da Justiça, na noite desta quinta-feira, 19.

Freitas admitiu que estava enfrentando uma forte pressão da bancada ruralista e que não lhe restava outro caminho. "Foi uma decisão pessoal, por conta do que vinha ocorrendo. Decidi me antecipar e me exonerar do cargo", afirmou.

+ Ex-presidente da Funai diz que foi demitido por não fazer 'malfeitos'

O presidente da Funai criticou o uso de supostas manifestações de indígenas que teriam sido contrárias à sua permanência no cargo. Segundo ele, a Funai recebeu diversas cartas em que lideranças indígenas negavam ter solicitado a sua saída do comando da Funai, ao contrário do que foi divulgado por parlamentares da bancada ruralista.

Ainda não há um novo nome confirmado para ocupar o posto. Nesta quinta-feira, Freitas indicou como substituto o diretor da Funai Rodrigo Faleiro. A bancada ruralista defende que o cargo seja ocupado pelo diretor Francisco Nunes. É possível, no entanto, que outro nome ainda seja escolhido pelo Palácio do Planalto.

+ Índios isolados correm risco de virar 'catástrofe internacional', alerta ex-presidente da Funai

O tema está sendo debatido entre o ministro da Justiça, Torquato Jardim, e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun. Freitas disse ainda que tomou conhecimento que os dois ministros e o deputado André Moura (PSC-CE) acordaram que ele seria substituído, mas não sabe quem vai ficar no seu lugar.

Nesta terça-feira, o Estado revelou que o governo acolheu pedido apresentado pela bancada ruralista para exonerar Freitas. Cerca de 40 deputados e senadores da bancada ruralista apresentaram uma carta ao presidente, solicitando a demissão do servidor, sob o argumento de que o atual presidente da Funai não tem colaborado com o setor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.