Presidente da Eletrobrás será substituído, diz Lobão após posse

Em relação às demais estatais, novo ministro diz que nada está decidido e que 'partidos vão conversar primeiro'

Gerusa Marques e Leonardo Goy, de O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2008 | 18h06

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse há pouco, após tomar posse, no Palácio do Planalto, que o presidente da Eletrobrás será substituído no cargo. Atualmente, o cargo está sendo ocupado por Valter Cardeal, ligado ao PT e à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Veja Também: Lula empossa Lobão em Minas e Energia e descarta apagão   "O presidente da Eletrobrás seguramente será outro", anunciou Lobão, em sua primeira entrevista como ministro, acrescentando que o indicado será um nome do PMDB. Lobão afirmou que ainda não está definido o nome do futuro presidente da Eletrobrás. Em relação às demais estatais, o novo ministro disse que nada está decidido. "Os partidos vão conversar entre eles e, depois, comigo", disse o ministro, ressaltando que as decisões só serão tomadas depois dessas conversas. "Eu não terei nenhuma dificuldade em lidar com representantes do PMDB, do Ministério (de Minas e Energia), do PT e de outros partidos da base aliada", afirmou Lobão, ao ser questionado se a Eletrosul já estava destinada ao PT. O ministro disse que fará algumas alterações no quadro técnico do ministério. "Mas só aquilo que for necessário. Vou preservar a memória do ministério." Lobão voltou a negar que o País corra risco de sofrer um novo racionamento de energia. "Não há nenhum risco de racionamento nem de apagão. Todas as medidas já estão sendo tomadas."

Mais conteúdo sobre:
Minas e EnergiaLobãoPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.