Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Presidente da Eletrobrás faz discurso em tom de despedida

O presidente da Eletrobrás, Luiz Pinguelli Rosa, disse nesta segunda-feira que ainda não foi informado sobre sua possível saída da estatal, mas todo o discurso feito em solenidade na Universidade Federal do Rio de Janeiro foi em tom de prestação de contas. ?Eu sou professor da Coppe, da UFRJ, e estou na Eletrobrás a convite do presidente. Estou cumprindo meu dever?, afirmou. A presidência da estatal está sendo cobiçada pelo PMDB e já teria sido acertada em troca do apoio do partido ao governo no Congresso.Pinguelli estaria cotado para assumir a Empresa de Planejamento Energético, órgão criado pelo novo modelo do setor para cuidar do futuro do abastecimento de energia no País. ?Não posso falar sobre um convite que ainda não existe?, esquivou-se. Em seu discurso durante o lançamento de um convênio para a construção da primeira ?usina de ondas? do País, Pinguelli fez um balanço da sua gestão na Eletrobrás, iniciada no começo de 2003. ?Investimos cerca de R$ 3 bilhões e vamos retomar as obras da usina de Tucuruí. Além disso, as subsidiárias Furnas e Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) vão ter um lucro de cerca de R$ 900 milhões cada?, afirmou.Pinguelli recebeu o apoio do reitor da UFRJ, Aloísio Teixeira. Em um discurso inflamado, Teixeira disse que a saída do professor do governo representaria um ?rompimento com a esperança depositada pelo povo brasileiro no governo?. ?Vemos com muita preocupação o risco de afastamento, pois eles têm uma ótica técnica e não fiscalista ou monetária?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.