Presidente da CUT é impedido de entrar na Câmara

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício, foi impedido por seguranças da Câmara de ir ao Salão Verde da casa, embora portasse consigo um habeas-corpus do Supremo Tribunal Federal (STF), assegurando-lhe esse direito. A segurança usou como argumento uma liminar em seu poder, concedida pelo ministro Sepúlveda Pertence, do STF, que impede o presidente da CUT e outros sindicalistas de circularem em áreas restritas do Legislativo, tais como os plenários da Câmara e do Senado e o Salão Verde. O líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), disse que isso nunca ocorreu antes no Congresso. Ele anunciou que todos os líderes da oposição vão reunir-se, no início da tarde, com o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), para pedir a liberação dos sindicalistas. "Se eu entrar, todos os sindicalistas vão entrar", disse Felício, referindo-se a uma série de sindicalistas que estão no portão de entrada da Câmara, também querendo entrar. Na última votação do projeto, na Comissão de Trabalho, houve graves tumultos, que resultaram na quebra de vidros e cadeiras no plenário da comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.