Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Presidente da CPI recua sobre exumação de Janene

Criticado por familiares, deputado Hugo Motta diz que só votará requerimento após ouvir a viúva

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

20 de maio de 2015 | 19h20

Brasília - Criticado por familiares de José Janene (PP-PR) e por deputados, o presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB), disse que só votará o requerimento de exumação do corpo do ex-deputado após ouvir a viúva Stael Fernanda Janene. O anúncio representa um recuo de Motta, que, no final da manhã desta quarta-feira, dava a realização da exumação como certa.

Acusado pelo deputado Júlio Delgado (PSB-MG) de querer desviar o foco da CPI e procurado pelo advogado da família de Janene, Motta disse no início desta noite que primeiro ouviria a viúva.

"Se a prova for contundente, não nos cabe ficar alimentando essa história. Não quero agredir a história de ninguém", afirmou Motta. Médico, o presidente da CPI disse ser a exumação a medida "mais garantidora" da real situação de Janene, que teve a morte oficialmente anunciada em 2010. O deputado disse que ele mesmo apresentará o requerimento de exumação, mas que aguardará para a votação. "Vamos ouvir a senhora Stael para fazer os esclarecimentos, as denúncias de contas no exterior e acredito que, nesta oportunidade, vamos tratar de exumação", afirmou o parlamentar.

O requerimento para ouvir a viúva do ex-deputado ainda não foi votado. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
operação lava jatoCPI da Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.