Presidente da CNBB pede auditoria na dívida externa

Considerado moderado dentro do clero do País, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o cardeal-arcebispo Dom Geraldo Majella Agnelo defendeu hoje uma auditoria na dívida externa brasileira, velha bandeira das esquerdas brasileiras. Segundo ele, a dependência que o Brasil tem junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI) oprime a população. ?Pague o que tem que pagar e se faça uma auditoria, será muito importante já que é o povo quem paga essa dívida", afirmou, durante o ao lançar na capital baiana a "Cartilha Política - Eleições Municipais 2004" para o Nordeste, da CNBB. D. Geraldo manifestou satisfação pelos bons números da economia do Brasil, mas acha que ainda "não atingiu o ideal". Uma sintoma disso, segundo ele é a previsão do novo salário mínimo do Orçamento de 2005, no valor de R$ 281. "É o sinal de que não é hoje, nem no ano que vem que (o ideal) será atingido". Ele insistiu que o atual governo ainda tem muito a fazer na educação, saúde e trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.