Presidente da CEF não depõe na Polícia Federal

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Mattoso, informou por telefone, ao delegado Rodrigo Carneiro Gomes, da Polícia Federal, que não poderia comparecer ao depoimento para o qual foi intimado, às 14h30 desta quinta-feira. Em seu lugar foi um advogado da Caixa, com os dados pedidos pela Polícia Federal sobre a violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, inclusive com os nomes dos dois funcionários envolvidos.A Caixa Econômica Federal informou na tarde desta quinta-feira, por meio de nota, que a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa foi um ato isolado e investiga dois funcionários como prováveis responsáveis pelo crime.A nota diz que foi identificada a máquina da qual foi retirado o extrato da movimentação da conta do caseiro e que os dois empregados usuários do equipamento "foram convocados a prestar depoimentos, visando a identificação do responsável pela divulgação indevida das informações".

Agencia Estado,

23 de março de 2006 | 15h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.