Presidente da CCJ não permitirá voto de Jader

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senador Bernardo Cabral (PFL-AM), afirmou que não vai permitir que o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) se manifeste sobre a questão de ordem que ele mesmo apresentou ao Conselho de Ética. Cabral afirmou que já há precedente dentro do próprio conselho, em que o ex-senador José Roberto Arruda não pôde votar quando um parecer a respeito do seu processo de cassação estava sendo discutido. Bernardo Cabral descartou também a possibilidade de o senador Osmar Dias (PDT-PR) ser afastado do cargo de relator da questão de ordem. Essa possibilidade chegou a ser comentada hoje pela manhã por parlamentares do PSDB. É que Dias tinha sido indicado pelo PSDB como seu representante na CCJ, e agora o senador transferiu-se para o PDT. Bernardo Cabral afirmou que, se isso se consumasse, ele próprio avocaria a si o cargo de relator e manteria o parecer de Dias. Sobre a possibilidade de um pedido de vista ser apresentado amanhã, na reunião da CCJ, por qualquer um de seus integrantes, Bernardo Cabral disse que tal fato é possível. Ele evitou, porém, antecipar o sua opinião sobre pedido de vista. A questão de ordem a ser examniada pela CCJ amanhã foi apresentada pelo senador Jader Barbalho no Conselho de Ética. Jader reivindica o direito constitucional à ampla defesa antes da leitura do relatório que deverá concluir pela a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.