Presidente da Câmara do DF é acusado de participar de orgia

A situação do presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Benício Tavares Cunha Mello (PMDB), ficou ainda mais complicada após o depoimento de quatro garotas de programa na Delegacia Especializada de Proteção e Assistência à Criança (Deapca). Elas garantiram a participação do parlamentar em orgia sexual ocorrida no iate de luxo Amazônia, a caminho de Barcelos e praticamente repetiram o que outras cinco meninas haviam dito ontem.Segundo elas, pelo menos 17 garotas de programa - a maioria menor de idade - participaram de orgias durante o trajeto.O envolvimento do parlamentar foi descoberto porque algumas das garotas voltaram de Barcelos, no dia 19, a bordo do barco regional Princesa Laura, que naufragou no Rio Negro provocando a morte de 13 pessoas, entre elas cinco garotas do grupo que viajara no iate Amazônia acompanhando o deputado e um grupo de homens. Com o naufrágio, a prática de aliciamento de garotas ficou evidente.Dos participantes da orgia, somente o empresário paulista Flávio Talmelli foi oficialmente identificado. Segundo a delegada Graça Silva, os envolvidos poderão ser indiciados por favorecimento à prostituição, artigo 228 do Código Penal, que prevê pena de até cinco anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.