Presidente da Associação Comercial defende saída de Dirceu

O presidente da Associação Comercial de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, defendeu hoje a saída imediata do ministro da Casa Civil, José Dirceu, envolvido na crise política gerada com o escândalo do assessor Waldomiro Diniz. "Dirceu é um pato que tomou chumbo na asa, o governo tem que afastá-lo rapidinho", disse Afif. Ele salienta, porém, que não quer dizer com isto que o ministro seja culpado. "O problema é que, enquanto ele está em julgamento, está sob suspeita; e, assim, contamina o governo", explicou.Para Afif, a atitude correta de Dirceu seria seguir o exemplo do ministro da Casa Civil do governo Itamar Franco (1992-1994), Henrique Hargreaves, que foi envolvido em denúncias e resolveu se afastar até que o caso fosse esclarecido. "Ao invés disso, Dirceu está querendo impor seu ponto de vista; isso perpetua a crise; e, com crise, o País não anda." Afif, que já foi candidato à Presidência da República em 1989 pelo PL, afirmou que está filiado ao PFL, mas não tem mais interesse em política. Segundo ele, os números do governo Lula são "desastrosos". Na sua opinião, é o resultado da política de altos juros e de altos preços públicos com altos impostos, que leva à perda de renda, do consumo e do emprego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.