Presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia é solto

Preso desde 4 de agosto, o presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia, Carlão de Oliveira (PSL), foi libertado na manhã desta quarta-feira. Ele fez exame de corpo delito no Instituto Médico Legal e em seguida reassumiu seu cargo, sendo recebido por servidores com fogos de artifício e pétalas de rosa. O parlamentar é acusado de comandar um esquema de corrupção envolvendo autoridades dos três poderes, que teriam desviado mais de R$ 70 milhões dos cofres públicos e havia sido preso pela Polícia Federal durante a Operação Dominó. As acusações mais pesadas, como a de formação de quadrilha, foram rejeitadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e o parlementar acabou ficando preso no centro de correção da Polícia Militar pela acusação de posse de arma de fogo. Uma pistola foi encontrada em sua casa no momento da prisão. O Tribunal de Justiça de Rondônia negou o habeas corpus diversas vezes e ignorou pedido de custódia apresentado pela Assembléia Legislativa. Seus advogados argumentaram que os desembargadores estavam ignorando decisão do STF, que havia decidido pelo não recebimento das denúncias mais pesadas.Na noite da última terça-feira, o STF decidiu por unanimidade que Oliveira deveria ser solto. "Continuo dizendo o que disse antes: minha prisão era por motivos políticos. Me prenderam sem oportunidade de defesa. Mas acredito na Justiça, sei que temos juízes, desembargadores e ministros sérios", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.