Presidente anuncia ''''PAC Funasa''''

O presidente Lula anunciou ontem em Porto Alegre o lançamento do que chamou de PAC da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em 19 de setembro. Serão investidos R$ 4 bilhões em obras de saneamento básico e tratamento de água em cidades com menos de 50 mil habitantes. Uma fatia de R$ 280 milhões, segundo Lula, será destinada a obras de saneamento para atender 90% das comunidades indígenas do País. Outros R$ 180 milhões serão destinados a pelo menos 50% dos quilombos organizados. "Vamos utilizar o PAC Funasa para fazer que se repare os pequenos municípios que ao longo da história do País foram sendo abandonados. Isso significa até mesmo fazer casas novas ou reboco nas casas."Lula esteve ontem na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul para apresentar projeto de saneamento e urbanização de favelas do PAC para o Estado. Cerca de 600 convidados participaram da solenidade - Lula foi blindado do contato com a população. Na rua de acesso à federação, um grupo de 350 manifestantes favoráveis ao governo abafou o protesto de 20 integrantes dos movimentos Cansei e Luto Brasil.No discurso, Lula disse que o problema no Brasil não é o dinheiro, mas eventualmente falta de projetos ou impedimento burocrático. "Quando tem projeto, não tem licença prévia. Quando tem licença prévia, o Tribunal de Contas cria um embaraço. Quando está tudo resolvido, vem uma ação popular. Quando faz a licitação, uma empresa ganha, a outra perde e entra com ação na Justiça. Ou seja, é um verdadeiro inferno para fazer as coisas acontecerem neste país."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.