Beto Barata/AE
Beto Barata/AE

Presidenciáveis usam eleições como palco

Aécio Neves, Eduardo Campos, Marina Silva e Ciro Gomes aproveitam campanhas municipais e correm o País como candidatos em 2014

João Domingos e Eugênia Lopes, de O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2012 | 20h22

Pré-candidatos a presidente da República em 2014, Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB), Marina Silva (sem partido) e Ciro Gomes (PSB) montaram uma agenda de participação na campanha às eleições municipais de forma a pedir votos para aqueles que apoiam "vender" a imagem para se tornar mais conhecidos.

Além de visitas a inúmeras cidades, eles têm feito centenas de gravações para os atuais candidatos. A prioridade foi viajar a locais onde partidos e aliados têm grande chance de vitória. O senador Aécio Neves, por exemplo, foi para Ribeirão Preto (SP) dar uma força ao ex-líder do PSDB na Câmara Duarte Nogueira, que está em segundo lugar na disputa pela prefeitura, conforme as pesquisas.

Na semana passada,entre outras cidades, Aécio foi para Salvador onde o PSDB apoia o democrata ACM Neto,Vitória,Vila Velha,Teresina,Campina Grande, João Pessoa, Maceió, Aracaju, Pelotas e Manaus.

"O PSDB tem uma característica de bons resultados em São Paulo, Minas e Paraná. Isso pode ser transportado para outras cidades", diz Aécio, acrescentando ser prematuro pensar na eleição de 2014, mas admite que hoje seu nome é mais lembrado no Sudeste.

Cruzada. Numa cruzada para fortalecer o PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, usa a mesma tática. Diz não ser candidato à Presidência em 2014, mas todos sabem que ele alimenta pretensões presidenciais. Se não der em 2014, caso a presidente Dilma Rousseff seja candidata, que seja em 2018.

Se Aécio é bem conhecido no Sudeste, Campos pode dizer o mesmo do Nordeste. E suas andanças para fazer campanha para seus candidatos tendem a torná-lo mais conhecido Brasil afora. Ele já foi para Natal, João Pessoa e São Luís. E para Campinas, São Paulo e Ferraz de Vasconcellos, em São Paulo. Na semana passada, iniciou viagens a Curitiba e a Belo Horizonte, além de Porto Velho.

Já a ex-ministra Marina Silva ainda não sabe se será candidata em 2014. Se eu leque de apoios, porém, é amplo. Passa por PT, PDT, PSB, PSOL e PPS e está presente em todas as regiões. Desde o início das campanhas municipais, Marina fez um périplo, com viagens para Macapá, São Luís, Manaus e Maceió, onde pediu votos para a ex-senadora Heloisa Helena (PSOL). Conforme Marina, seu apoio é multipartidário porque é programático, verifica a história do candidato.

Já Ciro Gomes, que já foi candidato à presidência em 1998 e 2002, tem dedicado a maior parte de seu tempo para tentar eleger Roberto Claudio (PSB) para a Prefeitura de Fortaleza. Mas viajou, nos últimos 30 dias, para Porto Alegre, Cachoeira, Gravataí e Viamão, no Rio Grande do Sul, e Florianópolis para ajudar nas campanhas.

A vitória de Roberto Claudio na capital cearense é essencial para os planos de Ciro e de seu irmão, o governador do Ceará Cid Gomes (PSB). Cid sonha fazer seu sucessor no governo, enquanto Ciro não descarta a hipótese de disputar pela terceira vez a Presidência.Antes, no entanto, terá de conquistar espaço no PSB, dominado por Campos, ou mudar de partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.