Presidência confirma saída de Leônidas Cristino da Secretaria do Portos

No lugar assume o economista Antonio Henrique Pinheiro Silveira, atual secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda

Rafael Moraes Moura e Tânia Monteiro , O Estado de S. Paulo

03 de outubro de 2013 | 19h03

Brasília - Em nota divulgada no início da noite desta quinta-feira, 3, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República confirmou a saída de Leônidas Cristino da Secretaria de Portos. No seu lugar, assume o economista Antonio Henrique Pinheiro Silveira, atual secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda.

A decisão de Dilma de nomear Antonio Silveira no lugar de Cristino segue o entendimento da presidente, já comunicado a auxiliares, de que pretende nomear interinos para as pastas que ficarem vagas até o final do ano, evitando, assim, antecipar o tabuleiro político da reforma ministerial.

Cristino deixa o governo após o presidente do PSB, Eduardo Campos, anunciar, no dia 18 de setembro, a entrega dos cargos na Presidência da República controlados pelo partido. Antes dele, nesta terça-feira, 1, Fernando Bezerra Coelho comunicou a saída do Ministério da Integração Nacional.

Cristino é afilhado político dos irmãos Cid e Ciro Gomes, que não concordam com as pretensões presidenciais de Campos. Os irmãos Gomes já deixaram o PSB e anunciaram a filiação ao PROS.

Após audiência com Cristino no Palácio do Planalto, a presidente Dilma informou a saída do ministo no Twitter para comunicar a saída do ministro. "O min Leônidas Cristino está deixando a Secr dos Portos. Lamento sua saída. Ele foi fundamental na aprovação da Lei dos Portos", escreveu a presidente.

Apesar do tom oficial de lamento da presidente, Cristino desempenhou papel coadjuvante na aprovação da MP dos Portos, que foi tocada principalmente pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

Confira a íntegra da nota oficial:

"O ministro chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Leônidas Cristino, decidiu deixar o cargo depois de prestar competente contribuição ao governo e ao País.

Leônidas Cristino foi fundamental na elaboração e aprovação do histórico Marco Regulatório dos Portos, a mais importante reforma logística do País nos últimos tempos. Com a nova Lei dos Portos, o setor ganhou competitividade, segurança jurídica e capacidade para atrair mais investimentos para atender a demanda crescente do País.

A presidenta Dilma Rousseff lamentou a saída do ministro. A presidenta disse ter certeza que Leônidas Cristino seguirá prestando relevantes serviços ao Brasil.

A secretaria de Portos da Presidência da República será ocupada, interinamente, pelo economista Antonio Henrique Pinheiro Silveira, atual secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda."

 

Tudo o que sabemos sobre:
PortosministroPSBDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.