Presas fazem motim de quatro horas em cadeia de MG

As 138 presas da Delegacia deVigilância Geral de Belo Horizonte, no bairro São Cristóvão,região central, fizeram um motim de cerca de quatro horas deduração, hoje, em protesto contra a superlotação da carceragem.Elas colocaram fogo em colchões e em cobertores e só encerraramo movimento após promessas das autoridades de queprovidenciariam transferências, para o ano que vem. Segundo o delegado Sandoval Moura, as oito celas daDelegacia têm capacidade para 70 internas, metade do total."Além disso, 50% das detentas já têm condenações pela Justiça edeveriam estar cumprindo pena em penitenciárias", afirmou opolicial. Uma presa foi agredida pelas colegas, durante otumulto, e foi atendida no próprio local, com ferimentos nosbraços. Líderes do protesto disseram que, revoltadas com asuperlotação e também com a falta de condições sanitárias nascelas, muitas internas estão fazendo greve de fome, desde o fimde semana. Dez das presas estão grávidas e também se queixam defalta de acompanhamento médico. A Secretaria de Justiça de Minascomprometeu-se a buscar vagas em presídios para as setenciadas apartir de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.