Presa quadrilha acusada de fraude fiscal em Minas

Onze pessoas foram presas nesta sexta-feira em Minas Gerais acusadas de fraudes fiscais de até R$ 20 milhões por mês, segundo cálculos da Receita Federal no Estado. Entre os presos estão sete fiscais da Fazenda do Estado, dois policiais militares, uma advogada e um contador. O Ministério Público de Minas informou que pelo menos 16 pessoas estão envolvidas no esquema.O subsecretário da Receita Estadual, Pedro Meneguetti, não soube informar o período de atuação da quadrilha. Segundo ele, as primeiras denúncias foram feitas em agosto do ano passado. Durante as apurações, foram feitas escutas telefônicas, que comprovam as combinações sobre depósitos em contas correntes, indicações sobre os melhores dias de passar pelo posto fiscal sem correr o risco de fiscalização e acertos de devolução de notas fiscais em branco ou já carimbadas. Os documentos também comprovam a abertura de quatro empresas fantasmas.De acordo com o promotor André Ubaldino, os documentos foram encontrados em sete lugares distintos. O esquema funcionava no posto fiscal de Matias Barbosa, na estrada federal liga Minas ao Rio. No entanto, segundo o promotor, as investigações indicam que os envolvidos também atuavam em outros três municípios da região, como Juiz de Fora, Barbacena e Carandaí. Os envolvidos deverão ser processados por crime de sonegação fiscal, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.