Prêmio Educação Cidadã é entregue no Saber 2002

O Prêmio Educação Cidadã foi entregue nesta quinta-feira, durante a cerimônia de abertura do Congresso Educação Saber 2002, para os vencedores das quatro categorias, em evento no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. A escola municipal de ensino fundamental Auxiliadora da Instrução, de Santos, no litoral paulista, foi a principal premiada, vencendo em duas categorias: professor e aluno. O evento teve a apresentação do jornalista Heródoto Barbeiro e um show do cantor Toquinho, acompanhado pelo Projeto Guri, uma orquestra formada por crianças carentes que estudam música.Os premiados desenvolveram projetos dentro do tema "Melhores Práticas dos Temas Transversais dos PCNs" (Parâmetros Curriculares Nacionais). Os PCNs, criados pelo Ministério da Educação (MEC), estabelecem as diretrizes básicas dos currículos escolares e ainda os chamados temas transversais. São aqueles que devem ser trabalhados em todas as disciplinas: ética, pluralidade cultural, saúde, orientação sexual, meio ambiente e trabalho e consumo. "É inédito, não existia nenhum trabalho relativo aos temas transversais dos PCNs. Esperamos um crescimento nas inscrições para o próximo ano, e que não apenas São Paulo, mas todos os estados realizem a premiação", afirmou o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Sieeesp), José Augusto de Mattos Lourenço, que organizou o evento.O prêmio contou com o apoio do MEC, da Unesco, da secretarias Estadual e Municipal da Educação de São Paulo, da Agência Estado e da Rádio Eldorado.Sem camisa-de-força"O prêmio estimula os professores a usarem os parâmetros, fazerem trabalhos e trocar experiências, formas de como se melhorar a educação no dia-a-dia da escola", disse a ministra adjunta da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro. Ela ressaltou que os PCNs enfatizam a capacidade de aprendizagem e uso da criatividade por parte do aluno, dando menos peso para a simples memorização. "Os PCNs são apenas um referencial para os currículos, não são uma camisa-de-força, permitem ter um referencial de qualidade que pode ser adaptado, contextualizado para a realidade local", disse.O MEC criou um programa, o "PCNs em Ação", para fazer com que as escolas absorvam os parâmetros e os temas transversais. Dele participam 550 mil professores, 40 mil grupos escolares, em 2.800 municípios. A adoção integral dos parâmetros e temas é um processo lento, segundo a ministra-adjunta. "Qualquer mudança curricular demora uma média de 10 anos para ser totalmente implantada", disse.Os projetos inscritos no Prêmio Educação Cidadã envolveram cerca de 400 professores e 17 mil alunos, de 32 municípios. No total, se inscreveram 100 projetos nas três categorias. Na categoria propostas pedagógicas, em que as escolas concorreram, foram 12 inscrições; na categoria professor, foram 62 e na categoria alunos foram 28 os trabalhos apresentados. O prêmio teve ainda 16 finalistas: dois na categoria escola, 11 na categoria professor, e três na categoria aluno. Todos os finalistas receberam um troféu e os trabalhos foram mencionados no Guia do Prêmio Educação Cidadã, que foi distribuído no congresso. O guia pretende ajudar outras escolas que queiram trabalhar em projetos de ensino com os temas transversais, dando exemplo de experiências bem sucedidas. Esta foi a primeira edição do prêmio. Escola premiadaA escola municipal de ensino fundamental Auxiliadora da Instrução, de Santos, ganhou dois prêmios no projeto "Do Micro ao Macro ? Um Projeto de Responsabilidade Individual e Coletiva", que falava sobre o tema transversal meio ambiente. A escola ganhou o prêmio na categoria professor, em que a vencedora foi Fátima Mendes, e na categoria aluno, em que os indicados foram Ewerton Francisco e Stanley São José Madureira. Segundo Fátima, 23 alunos da segunda série participaram do projeto, que foi desenvolvido em 2001. Os alunos fizeram um estudo sobre os pontos turísticos de Santos, promovendo um resgate da história desses lugares por meio de fotos e visitas a esses locais. Ao final do trabalho, os alunos fizeram um livro sobre a história da construção do Orquidário de Santos e um jornal. O livro "História do Orquidário" descreve com textos e fotos a história do parque e traz explicações sobre os animais que nele vivem. O "Jornal Auxiliadora" relata os passeios que os alunos fizeram, com fotos e desenhos. Tudo feito por crianças que ainda não estavam totalmente alfabetizadas, o que chamou a atenção da comissão julgadora. "É tudo muito simples", disse a professora, cuja maior dificuldade foi conseguir organizar o transporte das crianças até os locais escolhidos. "Agora, pretendemos fazer um livro sobre o Museu de Pesca", afirmou. Fátima pensa em procurar uma editora para publicar os livros, que seriam guias turísticos para crianças, feito por elas. "Seria uma forma de dar mais estímulo aos alunos", afirmou a professora. O projeto foi desenvolvido por crianças da segunda série e o objetivo era alfabetizá-las, o que não havia sido feito na primeira série. "Esses alunos estavam ficando frustrados", disse ela. Ao fim do trabalho, as crianças se sentiram mais motivadas a estudar e hoje integram a classe de Fátima na terceira série. Será essa turma, e outros novos alunos da sala, que desenvolverão o trabalho sobre o Museu de Pesca. Além do troféu, Fátima ganhou R$ 30 mil, que pretende usar em uma viagem com a família e na compra de um carro novo.Os alunos Ewerton e Stanley ganharam R$ 10 mil. Segundo Fátima, ficou combinado com os pais das crianças que o dinheiro seria dividido entre os 23 alunos participantes do projeto e que uma parte do prêmio seria destinada a uma viagem que a escola fará com os estudantes do colégio.Outros R$ 10 mil foram dados para a escola municipal de ensino fundamental professor Paulo Reglus Neves Freire, de Marília, que ganhou na categoria escola pública. Ela também ganhou dois computadores.Veja os vencedores do Prêmio Educação Cidadã:Categoria Escola: - Particular: Centro Educacional Pluri (Presidente Prudente) - Pública: EMEF Prof. Paulo Reglus Neves Freire (Marília)Categoria Professor: Meio Ambiente: 1ª a 4ª série: Profa. Fátima R. B. Mendes- EMEF Auxiliadora da instrução (Santos)Categoria Aluno: Ewerton Santos Francisco e Stanley S. J. Madureira -EMEF Auxiliadora da Instrução (Santos)Menção Honrosa: José Mário de Campos Aguiar Diegues - Colégio Objetivo (Sorocaba)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.