Prefeituras do PR fecham em protesto contra queda de receita

Segundo Associação dos Municípios, no primeiro semestre o Estado deixou de receber R$ 90,6 milhões

Evandro Fadel, da Agência Estado,

23 de setembro de 2009 | 13h50

As prefeituras de 30 municípios pertencentes à Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), incluindo Maringá, que fica na mesma região, permaneceram com as portas fechadas nesta quarta-feira (23) para o atendimento ao público, em protesto contra a queda de receita, principalmente o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Os prefeitos decidiram viajar a Brasília, onde participariam de um debate promovido pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) sobre o mesmo tema.

 

Segundo a Associação dos Municípios do Paraná (AMP), no primeiro semestre o Estado deixou de receber R$ 90,6 milhões do FPM, em comparação com o mesmo período do ano passado. A entidade reclama que outros R$ 180 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) também deixaram de ser repassados.

 

Nos municípios pertencentes à Amusep, apenas os serviços essenciais, como saúde e educação, foram mantidos. "Este é o pior momento que estamos passando, chegamos ao fundo do poço, para baixo não tem mais como ir, temos que subir", destacou o prefeito de Munhoz de Melo e presidente da entidade, Gilmar Silva (PMDB). Na região, a redução média é de 24% no repasse de FPM em relação a 2008.

 

De acordo com o presidente da Amusep, o problema continua no segundo semestre, com agosto configurando-se como o pior mês do ano. "Em setembro o repasse já caiu em 25%", reclamou Silva. "Estamos tendo dificuldade até para a folha de pagamento. Do décimo terceiro, então, nem se fala."

Tudo o que sabemos sobre:
PrefeiturasParaná fechamprotestoFPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.