Prefeitura do interior de SP só abre em fevereiro

O munícipe que precisar da prefeitura de Campina do Monte Alegre, no sudoeste paulista, a 224 km da capital, para obter certidões, alvarás ou recolher tributos terá de esperar até o início de fevereiro. Desde que a nova administração assumiu, no último dia 2, a prefeitura tem as portas fechadas para o atendimento ao público. Um decreto assinado pelo prefeito Orlando Donizeti Aleixo (PSDB) e afixado na entrada principal alerta que o expediente será exclusivamente interno até o dia 1º do próximo mês. De acordo com o prefeito, a medida foi necessária porque a cidade não teve transição administrativa.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

10 de janeiro de 2013 | 15h56

Aleixo ficou em segundo lugar na eleição municipal de outubro e só foi chamado a assumir quando, no final do ano, a Justiça Eleitoral anulou os votos dados ao candidato mais votado, Carlos Eduardo (PV). Ele alega que não teve tempo hábil para conhecer a realidade administrativa do município. O prefeito conta que usou o período de festas, entre o Natal e o Ano Novo, para organizar sua equipe de assessoramento. Durante este mês, ele pretende levantar a situação da prefeitura e tomar medidas administrativas para garantir a continuação do governo.

De acordo com o prefeito, os munícipes não serão prejudicados, pois os serviços essenciais, como saúde, limpeza urbana e coleta de lixo, continuam sendo prestados. Os impostos que vencem este mês terão o prazo prorrogado para fevereiro. A situação administrativa da cidade de 5.567 habitantes continua indefinida, já que Eduardo recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer valer sua eleição e ainda aguarda julgamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.