Prefeitura de SP quer mudar investimento em educação

A sessão de ontem na Câmara Municipal só deve ser encerrada na manhã de hoje (quinta-feira). A previsão era de que os vereadores passassem a noite discutindo a aprovação de projetos de interesse do Executivo, como a revisão da Lei Orgânica Municipal e a cobrança progressiva do IPTU. A revogação da Lei Orgânica faz parte do projeto do governo de alterar os investimentos no setor da educação em 2002. A proposta do Executivo é reduzir de 30% para 25% a parcela obrigatória do orçamento que deve ser investida na manutenção e desenvolvimento do ensino. O governo pretende alterar a Lei Orgânica - que exige 30% - e incluir programas sociais, transporte e material escolar como gastos em educação.Para isso, o presidente da Casa, José Eduardo Martins Cardozo (PT), convocou sessão extraordinária para começar à 0h05. Às 23h50, os vereadores aprovaram a revogação da isenção de Imposto Sobre Serviços (ISS) para a Companhia de Gás de São Paulo (Comgás). O projeto segue para ser sancionado pela prefeita Marta Suplicy (PT). Até esse horário, ainda não havia consenso sobre a aprovação dos projetos do Executivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.