Prefeitura de SP pedirá ação contra Maluf em Jersey

Com a ajuda de um novo acordo internacional da Organização das Nações Unidas (ONU), a Prefeitura de São Paulo vai entrar com representação para repatriar US$ 120 milhões bloqueados na Ilha de Jersey em nome do deputado Paulo Maluf, candidato do PP a prefeito. No fim da semana passada, o Ministério Público de São Paulo recebeu os documentos que faltavam da Justiça britânica que comprovariam as transferências de dinheiro por Maluf da Suíça para Londres e, em seguida, para Jersey nos anos 90. ?O processo vai seguir?, comemorou Andrew Witts, advogado contratado pela prefeitura em Londres. Os advogados do município agora estudam se vão pedir abertura de processo contra o ex-prefeito apenas em Jersey ou também nas Ilhas Virgens Britânicas, onde está registrada, segundo as investigações, uma empresa do deputado que teria feito as transferências. ?Como é que alguém entra em um processo eleitoral tendo dinheiro bloqueado no exterior??, questiona o procurador-geral de Genebra, Daniel Zapelli, que confirma a manutenção do bloqueio do dinheiro em nome da família Maluf também na Suíça. Entre os documentos a serem usados pela prefeitura estão os comprovantes da transferência de dinheiro da fundação White Gold para a empresa Durant International em dezembro de 1996.Pelas investigações dos suíços, são assinaturas de Maluf que dão a autorização para as transferências. A Durant teria sede nas Ilhas Virgens Britânicas e, por esse motivo, um processo também poderia ser aberto na Justiça local. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

23 de junho de 2008 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.