Prefeitos reagem a novos acampamentos no Pontal

Preocupados com o plano do Movimento dos Sem-Terra (MST) de ampliar o número de acampamentos no Pontal do Paranapanema, prefeitos da região estão tomando medidas preventivas para evitar a chegada dos sem-terra. O prefeito de Presidente Prudente, Agripino Lima (PTB), mandou intensificar a fiscalização em áreas municipais passíveis de serem ocupadas pelo MST. Ele já avisou que não aceita acampamentos no município. A cidade passou a ser o novo objetivo do líder dos sem-terra José Rainha Júnior na arregimentação de famílias para os acampamentos do MST. O prefeito de Narandiba, Fidelcino Magro (PSDB) disse que os movimentos de sem-terra podem "cair do cavalo" se forem instalar acampamentos no município. A cidade, de 3.774 habitantes, não comporta a chegada de mais gente. "Estou negociando a obtenção de 20 mil hectares para assentar famílias, mas a vinda dos sem-terra pode atrapalhar." Magro diz que apóia a reforma agrária feita de forma organizada e entende a luta das famílias pela terra. "Mas fazer acampamento não resolve, só tumultua." O prefeito fez chegar um recado às lideranças do MST para que "nem pensem" em levar acampamento para a cidade. "Não tem onde instalar e, se for para a rodovia, o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) vai pedir a reintegração de posse." Presente de gregoEm Presidente Wenceslau, o prefeito Osvaldo Melo (PT) conta que tem cinco assentamentos no município e um acampamento do Movimento dos Agricultores Sem-Terra (Mast) mas recebe pouca ajuda do Estado. "Nossa malha viária foi ampliada em 100 quilômetros e as duas peruas usadas no Programa de Saúde da Família não aguentaram." Bem relacionado com as lideranças, ele avisou que o município não tem condições de receber um novo acampamento. O prefeito de Rancharia, Nivaldo Deganello (PP), disse que acampamento é "presente de grego". A cidade está na lista dos municípios onde o MST pretende manter grupos de sem-terra em barracos. "Não temos terras devolutas e se chegarem aqui vão dar com os burros nágua", alertou. Rancharia abriga dois assentamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.