Prefeitos do PT no RS contrariam resolução nacional

Oito dos 35 prefeitos do PT no Rio Grande do Sul contrataram algum parente, o que contraria resolução do partido. As nomeações ocorreram em Ibiraiaras, Lageado do Bugre, Floriano Peixoto, Pelotas, Getúlio Vargas, Bagé, Rondinha e Santa Maria. O artigo 12º da Carta Eleitoral do PT recomenda que detentores de mandato eleitoral não nomeiem o cônjuge, companheiro ou parente até terceiro grau.Nesta quinta-feira, algumas das prefeituras se manifestaram sobre a situação. Em Rondinha, por exemplo, onde o prefeito Edimir Bottan é acusado de colocar sua irmã, Maria Margareth Bottan Parisi, na Secretaria Municipal de Administração, a assessora técnica da prefeitura, Tagiane Fiorentin, sustentou que a secretária não foi nomeada nesta gestão. "Ela já era secretária na administração anterior, do prefeito Ildo de Rocco (PT), e foi mantida no cargo", explicou.A vereadora Miriam Marroni, esposa do prefeito Fernando Marroni, de Pelotas, foi nomeada secretária de Direitos Humanos, Cidadania e Assistência Social, antes uma fundação. Vereadora em segundo mandato, Miriam observou que sua trajetória política é anterior à do marido. Para comprovar sua afinidade com a pasta, recordou que já exercia o cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos, da Câmara de Vereadores. "Não estamos tratando de nepotismo. Nem mesmo a oposição levanta este questionamento", reforçou. "Não fui nomeada por ser esposa do prefeito e tenho toda a legitimidade para estar onde estou", enfatizou. O prefeito Ivanir Poltronieri, de Ibiraiaras, nomeou dois parentes. A esposa Inês é secretária de Assistência Social, e recebe salário de R$ 550,00. O irmão Reni é diretor de Serviços Urbanos, uma divisão da secretaria de Obras. "Recebemos um ofício do PT nacional tratando deste assunto apenas na quarta-feira", contou Inês. Disse que o casal está discutindo o que fazer. "Estamos estudando o assunto com muito carinho", comentou. Também contrataram algum parente os prefeitos Dino Giaretta, de Getúlio Vargas (nomeou um cunhado); Luiz Mainardi, de Bagé (sogra); Otaviano Ardenghi, de Lageado do Bugre (esposa); e Vilson Babicz, de Floriano Peixoto (esposa). Babicz já afirmou que vai exonerar a mulher, Cledes, da secretaria de Educação. Em Santa Maria, a esposa do vice-prefeito, Paulo Pimenta, é diretora geral da secretaria de Educação. Ela é professora municipal concursada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.