Prefeito que nomeou filhas é condenado por nepotismo

A Justiça condenou o prefeito de Salto de Pirapora, Joel David Haddad (PDT), à perda do cargo e pagamento de multa pelo crime de nepotismo. Ele é acusado de ter nomeado as duas filhas para ocupar cargos do primeiro escalão da prefeitura da cidade, de 40.141 habitantes, na região de Sorocaba. Jamile Haddad foi nomeada diretora de Promoção Social e Administração em janeiro de 2005 e sua irmã, Jaqueline, assumiu a diretoria de Administração em 2009. Os dois cargos têm status de secretaria municipal e são de livre provimento, ou seja, os ocupantes são nomeados sem concurso.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

23 de outubro de 2012 | 16h56

O Ministério Público alegou que o prefeito feriu os princípios da impessoalidade e moralidade da administração pública. Na sentença divulgada nesta terça-feira, a juíza Tamar Oliva de Souza Totaro acatou a tese e condenou o prefeito, ainda, à suspensão dos direitos políticos por quatro anos. Ele terá de pagar multa equivalente a 30 vezes a remuneração paga às filhas. Em setembro de 2011, a mesma juíza já havia determinado que o prefeito demitisse as filhas, fixando pena de multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento. A assessoria do prefeito informou que ele vai entrar com recurso contra a sentença. Haddad continuará no cargo até o julgamento definitivo da ação.

Tudo o que sabemos sobre:
nepotismoprefeitocondenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.