Prefeito no Ceará é preso após 10 dias foragido

Após dez dias foragido, o prefeito de Senador Pompeu (CE), Antônio Teixeira Oliveira (PT), foi recolhido a uma das celas do quartel do Corpo do Bombeiros, em Fortaleza. O anúncio da prisão foi feito na manhã de hoje pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa da Cidadania do Ceará.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

30 de junho de 2011 | 17h11

O prefeito e mais 35 pessoas estão envolvidas no esquema de corrupção que teria desviado mais R$ 3 milhões da Prefeitura de Senador Pompeu, segundo investigação do Ministério Público Estadual (MPE). O processo aponta fraudes em licitações para a realização de obras fantasmas (construção e recuperação de estradas, implantação de calçamento em vias urbanas e reformas em escolas e unidades de saúde entre 2007 e 2009).

Antônio Teixeira foi afastado da prefeitura pelo desembargador Darival Bezerra Primo e teve sua prisão preventiva decretada em 21 de junho. O petista é acusado de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, ocultação de bens, direitos e valores. Por isso o PT instaurou uma comissão de ética para avaliar a expulsão do prefeito. Já a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), entidade na qual o prefeito é associado, está estudando uma punição para ele, uma vez que como advogado ao assumir a Prefeitura teria de se licenciar da Ordem.

Dos 36 mandados de prisão expedidos pela Justiça, apenas quatro foram cumpridos até agora. Estão presos além do prefeito, o vice-prefeito Luis Flávio Mendes de Carvalho, um radialista e um funcionário de uma empresa. Estão foragidos secretários municipais, empresários e funcionários de cinco empresas arroladas no processo.

Tudo o que sabemos sobre:
Senador Pompeu-CEprisãoprefeito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.