JD Diorio/Estadão
JD Diorio/Estadão

Prefeito eleito de Santo André atribui vitória a desgaste do PT e 'fenômeno' Doria

Em entrevista à TV Estadão, Paulo Serra (PSDB) também ressaltou a importância do apoio do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

Elizabeth Lopes, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2016 | 13h36

O prefeito eleito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), afirmou na manhã desta quinta-feira, 10, que dois dos fatores mais importantes para sua vitória foram o desgaste do PT e o "fenômeno" da eleição de João Doria (PSDB) em São Paulo. Em entrevista à TV Estadão, o político também chamou de decisivo o apoio do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que o incentivou a se candidatar. Além disso, destacou que os tucanos estão se consolidando na região, que abrigava o chamado "cinturão vermelho", com cidades administradas pelo Partido dos Trabalhadores.

Na entrevista, o prefeito eleito criticou administrações anteriores por Santo André não receber um programa eficiente de recapeamento de asfalto há 16 anos. "Mesmo sem recursos, temos de colocar a casa em ordem, não dá mais pra ficar tapando buraco, é preciso enfrentar o problema." Disse, ainda, que vai renovar o sistema de mobilidade e transporte público já no primeiro ano de gestão.

Segundo ele, a dívida total do município é maior que o próprio orçamento da Prefeitura. "A principal dívida é com a Sabesp. Vamos pensar em formas de equalizar essa dívida e restabelecer um sistema eficiente de água na cidade", disse. Outra parte do dinheiro, de acordo com Paulo, está comprometido com o pagamento de precatórios, que é obrigatório por determinação judicial. 

Para resolver o problema de caixa e colocar projetos em execução, o tucano destacou que aposta nos pequenos e médios empreendimentos e que não acredita no resgate de grandes plantas industriais na cidade. "Vamos atuar com choque de gestão, trabalhando de maneira eficiente, qualificando a dívida, mas sem aumentar impostos. Choque de gestão será dado já no primeiro dia, vamos trazer de volta a produção e investimentos na cidade", declarou.

O prefeito eleito disse ainda na entrevista que vai rever o projeto de ciclovia na cidade para "reparar" os erros da gestão petista. Na sua avaliação, é preciso planejamento e discussão com transparência. "Vamos manter a bicicleta no mapa de mobilidade da cidade." Ao falar do Uber, disse que é preciso regulamentar esse sistema e fazer com que ele tenha a mesma fiscalização dos taxistas. "Não pode ficar solto da maneira que está hoje em Santo André, temos de buscar um modelo ideal."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.