Prefeito do PT que pintou cidade de vermelho é punido

Após pintar quase toda a cidade de vermelho, o prefeito de Barrinha (SP), Mituo Takahashi (PT), terá de arcar com uma nova pintura em todos os locais que receberam essa cor. Além do prédio da prefeitura, pontos de ônibus, praças, centros de saúde e todos os demais locais terão de receber agora uma cor neutra ou azul, que tradicionalmente vinha sendo usada nos bens públicos.

RENE MOREIRA, ESPECIAL PARA A AR, Estadão Conteúdo

11 de agosto de 2014 | 13h13

O prefeito assinou no Ministério Público um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) se comprometendo a bancar a repintura, caso contrário, além de enfrentar uma ação na Justiça, terá de pagar R$ 30 mil de multa. O serviço, porém, ainda não começou, mesmo porque seu prazo vai até novembro e ele ainda não informou se pretende fazê-lo antes ou depois das eleições.

A administração municipal nega qualquer propaganda partidária, mas já adiantou que cumprirá o que foi acertado. O problema, porém, é que a prefeitura estaria esperando a homologação do acordo e os trâmites legais. A tinta vermelha teria sido escolhida por ser a única que estava disponível no almoxarifado, versão esta que não convenceu o promotor Fernando Antonio Abujamra.

Polêmica

Os prédios públicos foram pintados no início deste ano pela prefeitura e desde então gerou muito debate em Barrinha, cidade com cerca de 30 mil habitantes que fica na região de Ribeirão Preto. Na Câmara a denúncia partiu do vereador Valter Gomes da Fonseca (PR), o Valtinho Beleza, que considerou a ação ilegal e partidária. Na ocasião, o prefeito argumentou que, sem contar a sobra que haveria de tinta vermelha, esta cor consta no brasão do município.

Mais conteúdo sobre:
BarrinhaMituo TakahashiPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.