Prefeito do PSB nomeia secretário petista em Campinas

O prefeito eleito de Campinas (SP), Jonas Donizette (PSB), anunciou nesta quinta-feira o vereador mais votado do PT, Jairson Canário, como seu futuro secretário de Trabalho e Renda. O diretório municipal petista aprovou há 15 dias uma resolução que proíbe filiados de ocuparem cargo no governo do PSB - que tem como maior aliado, o PSDB.

RICARDO BRANDT, Agência Estado

27 de dezembro de 2012 | 20h29

Desde a campanha, o prefeito eleito usa a aliança do PSB com o PT, no Congresso, e com o PSDB, no Estado e na cidade, como estratégia para atrair o eleitorado das duas legendas. "O Canário foi o vereador mais votado do PT e representa uma importante força comunitária. Sua participação no governo não compromete a postura que o partido vai adotar. Votei (como deputado federal) com o governo federal, mesmo depois das eleições. Acho contraditório ter uma postura lá e outra aqui, com o governo em Campinas", defendeu Jonas, ao explicar o convite ao petista, durante anúncio dos últimos nomes de seu secretariado.

"O próprio governador Eduardo Campos (presidente nacional do PSB e nome cotado para sucessão presidencial em 2014) ressaltou recentemente essa afinidade entre os dois partidos", completou o prefeito eleito.

Para ele, essa aproximação com o PT "é positiva para Campinas". Jonas foi eleito no segundo turno com 58% dos votos, derrotando o candidato do PT, Márcio Pochmann - indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a disputa. Logo após o resultado, o partido anunciou que faria oposição ao governo eleito. Em decisão, aprovada há duas semanas, o partido diz que vai levar à comissão de ética quem descumprir a determinação e pedir sua expulsão.

Além de Canário, outro nome ligado diretamente ao PT, Luiz da Rocha Gaspar, foi mantido na Companhia do Polo de Desenvolvimento Tecnológico de Campinas (Ciatec). Apesar de não ser filiado, ele foi indicado ao cargo que ocupou durante os governos do prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos (PDT) pelos petistas.

Canário, eleito vereador mais votado pelo PT pela segundo mandato consecutivo, é líder comunitário em Campinas, no Parque Oziel - maior área de ocupação do Estado, já regularizada. Apesar de não dar entrevistas, o vereador deve pedir apoio ao diretório estadual e nacional para reverter decisão da executiva municipal. Um dos principais articuladores de sua aproximação com o prefeito eleito foi o ex-deputado estadual Sebastião Arcanjo. "Claro que houve uma conversa além do Canário. Conversamos com uma parte do PT", explicou Jonas.

O presidente do PT em Campinas, Ari Fernandes, não foi encontrado para comentar o assunto. O partido agora deve se reunir a partir da próxima semana para decidir que atitude tomará em relação ao parlamentar.

Tudo o que sabemos sobre:
PSBCampinasnomeaçãosecretário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.