Prefeito do Pará pode desistir da prévia do PT

Depois que a direção do PT garantiu a realização de prévia para a escolha do candidato a presidente, o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PT), admitiu que pode desistir da disputa. "A tendência é que esta prévia seja esvaziada, pró-forma, sem debates, e não gostaria de estar legitimando este processo", disse o prefeito. Até agora, o único inscrito é o senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Os moderados registrarão domingo a candidatura do presidente de honra do partido, Luiz Inácio Lula da Silva, à revelia dele. "Isso não é problema meu ainda", disse Lula.Na prática, Rodrigues enfrenta dificuldades para coletar as assinaturas necessárias à inscrição (dois quintos do diretório nacional, composto por 81 integrantes). A prévia está marcada para 3 de março, mas as normas serão definidas em janeiro. Aliados de Lula querem evitar os debates com Suplicy para impedir o desgaste do presidente de honra da legenda."Com a exposição das minhas idéias, eu tornarei-me um páreo difícil e posso vencer", afirmou Suplicy. "Na verdade, os dirigentes sabem que isso pode acontecer e, por isso, têm preocupação." Sentado na oitava fileira da platéia, Suplicy ficou isolado na abertura do 12.º Encontro Nacional da sigla, nesta sexta-feira. Não foi nem anunciado ao microfone.Os oradores revezavam-se pedindo a candidatura de Lula. "Estamos bastante amadurecidos para saber que seu nome é o que unifica o partido e tem condições de disputar e ganhar a eleição de 2002", disse o prefeito do Recife, João Paulo Lima e Silva, dirigindo-se a Lula. "Vamos escolher um caminho sem conflitos e eleger Lula presidente", emendou o governador do Acre, Jorge Viana."O que o PT precisa é de unidade política e programática e esse encontro nacional não pode, não deve e não vai se paralisar por causa de uma prévia", discursou o deputado José Dirceu (SP), presidente nacional do PT.A abertura do 12° Encontro Nacional da agremiação contou com raio laser, vídeo produzido pelo marqueteiro Duda Mendonça, coral, chuva de estrelas de papel picado e até uma bandeira do Brasil que caía do teto. De fundo, a música "A Paz", de Gilberto Gil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.