Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Prefeito de Presidente Epitácio reduz expediente e culpa MST

O prefeito de Presidente Epitácio, Adhemar Dassie (PSDB), assinou decreto hoje reduzindo pela metade o expediente das repartições públicas municipais para conter despesas. O prefeito culpou a crescente demanda de serviços decorrente da formação do superacampamento do Movimento dos Sem-Terra (MST) na cidade, com cerca de 3 mil famílias, pelas dificuldades financeiras. A prefeitura, as secretarias municipais de turismo, agricultura, planejamento, desenvolvimento econômico e promoção social funcionarão das 8 às 14 horas, 3 horas a menos que o expediente normal. Nos setores de almoxarifado e merenda escolar o expediente será das 7 às 13 horas e na saúde, o atendimento será feito em dois turnos. Educação e saúde continuam com o expediente normal de 8 horas. O decreto entra em vigor segunda-feira. O prefeito de Presidente Prudente, Agripino Lima (PTB) disse ontem que fechará a prefeitura caso o governo estadual decrete intervenção no município de Sandovalina. A medida será tomada em solidariedade ao prefeito da cidade vizinha, Divaldo Pereira de Oliveira (PTB), segundo nota divulgada pelo prefeito. O município de Sandovalina está sob ameaça de intervenção desde que o prefeito decretou estado de emergência e fechou a prefeitura, na última terça-feira, em protesto contra a invasão da cidade por um acampamento do MST com 450 famílias. Oliveira disse que não se teme a intervenção e manteve a decisão de fechar a prefeitura na terça e quarta-feiras da próxima semana, caso os sem-terra continuem acampados na cidade. A justiça deu prazo até o dia 15 para a saída das famílias.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.