Prefeito de MG terá de ressarcir município por fraude

O prefeito de Felício dos Santos, na região central do Estado, Joaquim Veloso Pinto, do PSDB, e mais quatro funcionários que trabalham com as licitações da prefeitura tiveram seus bens bloqueados por determinação judicial, segundo informações da rádio CBN Minas. De acordo com o Ministério Público Estadual, a prefeitura comprou 600 mochilas da empresa TMM, com valores superfaturados. Os réus vão ter de ressarcir a prefeitura em cerca de R$ 20 mil, correspondentes à diferença da licitação irregular. De acordo com o Inquérito Civil Público da prefeitura de Felício dos Santos, cinco empresas participaram da licitação, em fevereiro do ano passado. Três delas fizeram propostas com preços mais altos e a TMM saiu vencedora. Cada mochila foi repassada por R$ 42,80, mas a mesma unidade na empresa custa R$ 10,50. Tailma da Conceição Nunes Santos, Claudirene Aparecida Ferreira e Luiza Cristina Damasceno são os integrantes da comissão de licitação culpados pela fraude, além do chefe da divisão de compras e filho do prefeito, Cléber Magno Veloso Pinto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.