Prefeito de Jales é cassado por emissão de notas 'frias'

A Justiça de Jales condenou o prefeito de Jales, Humberto Parini (PT), por improbidade administrativa, a perda de seus direitos políticos, e já determinou à Câmara dos Vereadores a posse do vice-prefeito Clovis Viola (PPS). Agente Fiscal Tributário, o prefeito petista é acusado de emissão de notas fiscais frias para justificar despesas da Facip, a feira agropecuária da cidade, no ano de 1997, quando o petista era vice-prefeito da cidade e presidente da Comissão que organizou o evento.

PAULO REIS ARUCA, Agência Estado

16 de julho de 2011 | 12h46

O caso vinha se arrastando desde o ano de 1998, com sucessivos recursos protelatórios e teve seu trânsito em julgado atestado pelo STF no mês passado, mas só nesta quinta-feira, a juíza Renata Longo Vilalba Serrano Nunes, da 4a. Vara de Jales, executou a sentença por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Prefeitocassadoimprobidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.