Prefeito de Itapira é condenado por nepotismo

A juíza Débora Romano Menezes, substituta da 1ª Vara Cível de Itapira, interior de São Paulo, condenou o prefeito Antônio Hélio Nicolai (PV) a cancelar três nomeações e a devolver valor ainda não calculado, referente aos salários pagos e gastos tidos com o secretário de Negócios Jurídicos, Antônio Carlos dos Santos; a diretora de Ensino Fundamental, Silvânia Maria Nicolai Piardi; e outra diretora da pasta de Educação, Edna Valéria Marcatti Marques. Os vereadores Dirceu de Oliveira (PMDB) e José Mário Brolezzi (PFL) propuseram uma ação popular contra o prefeito, na qual o acusam de nepotismo. A Prefeitura confirma a contratação de Santos, marido da líder do prefeito na Câmara, Sônia de Fátima Calidone dos Santos (PT), o cargo em comissão da irmã do prefeito, Silvânia, e de Edna, mulher do secretário de governo. O prefeito afirmou, por meio de nota oficial, que até o momento não foi citado oficialmente e que só comentará a sentença após notificação. "A priori, a administração entende que as contratações são absolutamente legais. Na forma e no momento corretos, haverá, se necessário, recurso da sentença", afirmou por meio de assessoria. Segundo informou o promotor de Justiça do Estado em Itapira Alexandre de Palma Neto, o Ministério Público deu parecer favorável à ação popular. "Não foi estipulado um valor porque ainda serão calculados correção monetária e juros de mora. A Promotoria sugeriu a nulidade imediata das contratações, mas a juíza indeferiu", afirmou. "Pedimos diversas cópias do processo para investigar possível improbidade administrativa e pedir perda do cargo público, suspensão dos direitos políticos, impossibilidade de contratar com o poder público e multa até três vezes o valor do dano ao erário", afirmou. O advogado de defesa Luiz Eugênio Barducco disse que só vai se pronunciar após notificação oficial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.