Reprodução/Instagram/GeanLoureiro
Reprodução/Instagram/GeanLoureiro

Prefeito de Florianópolis é preso sob suspeita de participar de organização criminosa

Investigação aponta prática de associação criminosa, corrupção passiva, violação de sigilo funcional, tráfico de influência e corrupção ativa

Marcone Tavella, Especial para o Estado

18 de junho de 2019 | 11h58

FLORIANÓPOLIS - A Policia Federal prendeu na manhã desta terça-feira, 18, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido); o delegado Fernando Caieron, da própria PF; e o ex-secretário estadual da Casa Civil, Luciano Veloso Lima. 

Eles são suspeitos de participar de uma organização criminosa que violaria o sigilo de operações policiais em Santa Catarina, além de construir um esquema para bloquear o monitoramento de órgãos públicos.

Chamada de Chabu, a operação ainda cumprirá outros mandados de prisão ao longo do dia, além de promover busca e apreensão em endereços dos suspeitos. O nome dado à operação significa "dar problema", "falha no sistema". O termo era empregado por alguns investigados para avisar sobre a existência de futuras operações policiais.  

De acordo com a PF, a organização criminosa era composta por políticos, empresários e policiais da PF e da Polícia Rodoviária Federal lotados em serviços de inteligência. O grupo buscava atrapalhar investigações policiais em troca de vantagens financeiras.

As provas da investigação, segundo a PF, apontam prática de associação criminosa, corrupção passiva, violação de sigilo funcional, tráfico de influência e corrupção ativa.

Gean Loureiro presta depoimento à polícia nesta manhã. A assessoria de imprensa da Prefeitura afirmou que vai esperar mais informações para se pronunciar. A reportagem não localizou os advogados de Caieron e de Veloso Lima, que atuou na gestão do ex-governador do Estado Pinho Moreira (MDB), em 2018. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.