Prefeito de Dourados-MS é suspeito de fraudar licitação

O prefeito de Dourados (MS), Ari Artuzi (PDT), passou a ser réu no processo que apura fraudes em licitações públicas da prefeitura local. A medida foi adotada hoje pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), com os votos dos sete desembargadores que compõem a Seção Criminal. Os magistrados também classificaram como réus os vereadores Paulo Henrique Amos Ferreira (DEM), Humberto Teixeira Júnior (PDT) e Sidlei Alves da Silva (DEM).

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, Agência Estado

04 de agosto de 2010 | 18h08

Responderão por corrupção passiva o ex-secretário municipal de governo, Darci Caldo, o assessor especial Jorge Anatônio Dauzacker da Silva, os arquitetos da prefeitura Astúrio Dauzacker da Silva e Fabiano Ferrucho, e o secretário municipal de Saúde, Sandro Ricardo Bárbara.

Segundo o desembargador Dorival Moreira dos Santos, "a denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual mostra que os empresários Sizuo Uemura e o filho Eduardo Uemura pediram que prefeito, vereadores e funcionários da época se organizassem para obter vantagens no procedimento de licitação" e responderão por corrupção ativa".

O grupo todo foi identificado e indiciado pela Polícia Federal, durante a Operação Owari, "ponto final" no idioma japonês, desencadeada em junho de 2009. O advogado dos acusados, Carlos Alberto Marques, disse que deverá se pronunciar sobre o caso quando as testemunhas de defesa forem convocadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.