Prefeito de Caracas pede veto à Venezuela

O prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, enviou carta ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), na qual pede que o Brasil vete a entrada da Venezuela no Mercosul. O documento, de 11 de maio, foi distribuído pela assessoria de Sarney. Ledezma disse que o presidente Hugo Chávez deu "um golpe de Estado contra a Constituição", ao impedir as atividades da oposição e ao governar de forma cada vez mais autoritária. "Seria muito grave abrir o Mercosul a um presidente cujas ações demonstram uma escalada autoritária e que não defende os princípios do mercado e de integração dos países."Para ele, Chávez "insultou" o Senado brasileiro quando chamou seus integrantes de "papagaios do império americano". Ledezma pediu a Sarney que, ao examinar a proposta - já aprovada na Câmara -, o Senado "exija" o cumprimento dos acordos internacionais em prol da democracia, do pluralismo e da liberdade.A assessoria disse que Sarney evitou tomar posição na resposta. Mas no discurso que fez em 2007 foi enfático ao se opor à entrada do país no bloco, alegando que Chávez é "um perigo para os demais países".Relatado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o protocolo de adesão da Venezuela tramita na Comissão de Relações Exteriores há seis meses. Ele aguarda receber do Itamaraty o relatório dos acordos entre Brasil e Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.