Polícia Civil de Pernambuco
Polícia Civil de Pernambuco

Prefeito de Camaragibe é preso por suspeita de fraude e organização criminosa

Demóstenes Meira (PTB) foi afastado do cargo; operação da Polícia Civil de Pernambuco cumpriu 5 mandados de prisão preventiva na manhã desta quinta-feira

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2019 | 09h50
Atualizado 20 de junho de 2019 | 10h49

SÃO PAULO - O prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), foi preso na manhã desta quinta-feira, 20, durante a Operação "Harpalo II", organizada pela Polícia Civil de Pernambuco.

O petebista é investigado por corrupção, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A investigação começou em dezembro de 2018, com objetivo de prender integrantes de organizações criminosas.

Durante a operação, foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva. Foram presos:

  • Prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), que também teve afastamento cautelar do cargo
  • Empresário Severino Ramos da Silva
  • Esposa do empresário Severino, Luciana Maria da Silva
  • Empresário Carlos Augusto
  • Esposa do empresário Carlos Augusto, Joelma Soares

"Foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva e um mandado de afastamento cautelar das funções públicas. O principal palco dos crimes era a prefeitura de Camaragibe, sendo o prefeito o líder", disse a delegada Polyanne Farias, gestora operacional da Diretoria Integrada Especializada (Diresp) da Polícia Civil de Pernambuco, durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira.

Todos foram presos em suas residências. Não houve resistência no momento da abordagem policial.

Os outros dois casais presos são do ramo de construções. Ainda segundo a delegada, todas as condutas serão detalhadas na sexta-feira, 21.

"A primeira fase em março proporcionou à investigação a coleta de elementos de provas muito importantes e a nova análise de informações de nosso laboratório de inteligência, o que culminou com a segunda fase da operação", afirmou Polyanne Farias.

Ao todo, 40 policiais civis participaram da ação. No dia 18 de fevereiro, o Ministério Público de Pernambuco abriu procedimentos para apurar possíveis atos de improbidade administrativa do prefeito Demóstenes Meira. Em áudios enviados pelo WhatsApp, Demóstenes Meira ordenou que os funcionários comissionados comparecessem ao bloco de carnaval Canário Elétrico, no dia 17, no qual sua noiva, a secretária municipal da Ação Social, Taty Dantas, cantaria.

Camaragibe fica na região metropolitana de Recife. A cidade tem cerca de 150 mil habitantes. 

A reportagem do 'Estado' entrou em contato com a prefeitura, mas não obteve retorno.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.