Prefeito de BH pode sair mais cedo de coma induzido

Os médicos que assistem o prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro (PT), começaram, neste domingo, a reduzir progressivamente a medicação que o mantém em coma induzido, segundo boletim divulgado pelo Hospital Mater Dei.De acordo com o comunicado, Célio de Castro, que na última quinta-feira foi operado às pressas para a retirada de um coágulo no cérebro, permanece internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) e seu quadro clínico mantém-se estável, o que possibilitou a redução da medicação.Segundo os médicos Marcos Andrade e Ivan Cunha Melo, que assinam o boletim, o estado de coma impede a avaliação de possíveis seqüelas neurológicas.O prefeito, de 70 anos, sofreu isquemia na quarta-feira, que resultou em três acidentes vasculares cerebrais. Pela previsão inicial dos médicos, Célio de Castro ficaria em coma induzido por cerca de cinco dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.