Prefeito com prisão decretada teria morrido no mar

O Corpo de Bombeiros de Guaratuba, no litoral do Paraná, retomou hoje as buscas do corpo do prefeito cassado de Coronel Macedo, no sudoeste de São Paulo, Antonio Batista Tonon (PR), que teria desaparecido no mar na sexta-feira. Suspeito de envolvimento no assassinato de um vereador, o prefeito afastado teve sua prisão decretada pela Justiça em outubro deste ano e estava foragido. De acordo com os bombeiros, uma testemunha afirmou que ele tomava banho de mar numa praia da cidade paranaense, quando teria passado mal e desaparecido nas águas. A testemunha, uma amiga que acompanhava o ex-prefeito, acionou os bombeiros. As buscas tinham sido interrompidas ontem por causa do mau tempo. Até o fim desta tarde, o corpo não tinha sido encontrado. Tonon era acusado de ser o mandante do assassinato do vereador Rivelino de Oliveira Leite (DEM), executado com dois tiros na sede do sindicato rural de Taquarituba, no dia 10 de outubro. O vereador tinha declarado que votaria a favor da cassação do mandato do prefeito, acusado de várias irregularidades pela Câmara. O autor dos disparos e outros três envolvidos no crime, entre eles o ex-vereador Nilton Donizete Machado (PP), também cassado, estão presos. Assim que a justiça determinou as prisões, Tonon desapareceu da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.