Prefeito cassado pode ser reempossado em Sarapuí-SP

Cassado em 2010, o ex-prefeito de Sarapuí (SP), César Dinamarco Corsi (PSDB), deve ser reempossado no cargo quinta-feira (27) a apenas cinco dias do fim do mandato. A decisão foi dada nesta quarta-feira (26) pelo juiz de segundo grau José Luiz Germano, que respondia pelo plantão judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Apesar da advertência para cumprir a ordem, sob pena de responder pela desobediência, o presidente da Câmara, Ronaldo Alves da Silva (PSDB), negou-se a dar posse ao prefeito. Ele deve assumir o cargo na quinta com força policial.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

26 de dezembro de 2012 | 18h57

Como na próxima segunda-feira não haverá expediente, na prática Corsi ficará à frente da prefeitura por dois dias úteis - quinta e sexta-feira. Na decisão, o juiz do TJ-SP ponderou que, embora pouco adiantasse em termos administrativos, já que faltam poucos dias para o fim do mandato, a posse se impunha por uma questão moral. "O que importa é o seu direito, inclusive de ordem moral, de ser reconhecido como alguém que venceu a disputa judicial a respeito de sua cassação e que, por isso, deve ser reconduzido ao cargo, mesmo que por apenas alguns dias."

Corsi foi cassado quatro vezes pela Câmara, mas se mantinha no cargo com liminares da Justiça, até ser deposto por ordem judicial - o vice Ari Vieira da Silva (PV) assumiu a prefeitura. Durante os processos, Corsi foi acusado de pagar funcionários fantasmas e comprar ração de cachorro com verba da merenda escolar. A advogada Elaine Acquati, que entrou com o recurso, alega que ele foi vítima de perseguição política. Caso assuma, a cidade paulista de 9.027 habitantes terá duas posses de prefeitos em menos de uma semana: no dia 1º, assume o prefeito eleito Fábio Holtz (PSDB).

Tudo o que sabemos sobre:
Sarapuíprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.