Prefeita de cidade de Alagoas é presa acusada de matar vereador

Polícia prendeu também marido de Sânia Teresa (PT) e um policial militar; parente da vítima diz que questões políticas motivaram crime

Ricardo Rodrigues, especial para O Estado

12 de setembro de 2011 | 12h52

A Polícia Civil de Alagoas prendeu na madrugada desta segunda-feira, 12, a prefeita de Anadia, a 88 quilômetros de Maceió, Sânia Teresa (PT), acusada de ser a mandante da morte do médico e vereador, Luiz Ferreira de Souza (PPS), assassinado a tiros no último dia 3. Foram presos também, acusados pelo mesmo crime, Alessander Ferreira Leal, marido da prefeita; e um policial militar Claudio Magalhães da Silva, primo e segurança de Sânia.

 

Os mandados de prisão temporária foram expedidos pelos juízes da 17ª Vara Especial Criminal, a pedido da comissão de delegados que investigam o crime. A prefeita e o marido já eram investigados como suspeitos do homicídio. O vice-prefeito, José Augusto (PPS), primo do vereador assassinado, deve assumir o comando do município.

 

Segundo o primo da vítima, José Augusto, o crime teve motivações políticas. Luiz Ferreira de Souza decidiu abandonar a base aliada da prefeita e diputar a prefeitura de Anadia em 2012. Sem o voto de apoio do vereador, Sânia Tereza, que responde a processos por irregularidades na Câmara da cidade, poderia perder o mandato.

 

Além das prisões, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos em cinco locais, inclusive na residência da prefeita e na sede da prefeitura. A prefeita e o marido foram trazidos para a sede da Delegacia Especial de Investigação e Capturas (DEIC), onde prestariam depoimento. O policial militar seria levado para o presídio da PM, depois de passar por exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML).

Segundo o secretário estadual de Defesa Social de Alagoas, coronel PM Dário Cesar, a suspeita é de que o policial militar e segurança da prefeita tenha sido o autor dos disparos que mataram o vereador. A polícia não descarta a participação de outras pessoas no crime.

 

O vereador foir morto dentro do carro, poucas horas depois de deixar a emissora de rádio para qual revelou ter interesse de disputar a prefeitura de Anadia.

 

Sânia Teresa nega participação no crime e se diz ameaçada de morte. O PT de Alagoas até o momento não se pronunciou sobre a prisão da prefeita. A assessoria do diretório estadual do partido informou que prepara uma nota oficial sobre o caso. Já o PPS, partido ao qual o vereador era filiado, defende o aprofundamento das investigações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.