Preço de remédio liberado pode voltar a ser controlado

A lista de medicamentos com preços liberados pelo governo sofrerá alteração em breve. Algumas drogas que hoje são de venda livre terão novamente os preços controlados. A mudança é uma forma de punir empresas e laboratórios que reajustaram de forma excessiva alguns de seus produtos. "Quem praticou um ajuste abusivo terá de reduzir o preço dos produtos para o que havia sido cobrado em 31 de março", disse o ministro Humberto Costa. "E, a partir daí, terá novamente de se submeter às regras do governo".A lista de medicamentos com preços liberados havia sido ampliada em fevereiro. A restrição era a de que os remédios tinham de ter pelo menos cinco concorrentes e serem de venda livre em farmácias, segundo acordo entre governo e indústria farmacêutica. A exclusão de alguns medicamentos não significa, necessariamente, que a lista dos remédios de preços liberados deverá diminuir. Desde o anúncio da nova política para o setor, semana passada, já havia a previsão de que algumas drogas hoje com preços controlados passariam a ter o valor de venda liberado.Costa falou sobre a nova política para o setor farmacêutico hoje, durante reunião do Conselho Nacional de Saúde. Ele informou ainda que deverá ser analisada a criação de mecanismos legais que tornem obrigatória a prescrição de remédios genéricos, com indicação, também de um nome de marca. Atualmente, apenas médicos dos serviços públicos têm obrigação de inscrever na receita o nome genérico do medicamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.