Pré-campanha de Dilma está sem coordenador jurídico há uma semana

O advogado Márcio Silva deixou o posto após ríspida discussão com o presidente do PT, Rui Falcão, e o tesoureiro Edinho Silva 

Ricardo Galhardo , O Estado de S. Paulo

11 Junho 2014 | 20h37

A pré-campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição está sem coordenador jurídico desde a semana passada. O advogado Márcio Silva, que até então comandava a equipe jurídica da pré-campanha, não vai mais advogar para o PT nem para a presidente.

A área jurídica é considerada fundamental para a campanha petista. Até o início deste mês Dilma foi alvo de 12 representações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo integrantes da coordenação da campanha de Dilma, a decisão ocorreu depois de um bate-boca ríspido do advogado com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o tesoureiro da campanha, Edinho Silva.

A equipe de Dilma tentou contratar o advogado Helio Silveira, que desde o início era um dos preferidos do PT, mas não obteve sucesso. Silveira trabalha hoje para a pré-campanha de Paulo Skaf, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB.

Na terça-feira a direção do PT fechou com o advogado Arnaldo Versiani, que até 2012 era ministro do TSE. Ele será o responsável pelas demandas da campanha nos tribunais superiores e terá ajuda de Gustavo Sereno.

A cúpula dilmista espera que o secretário de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, Flávio Caetano, possa assumir a coordenação jurídica da campanha depois da Copa do Mundo. Mas segundo dirigentes petistas, ele pode optar por permanecer no ministério onde é o responsável pelo projeto de reforma do Código de Processo Civil.

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff Paulo Skaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.